14/02/2019 10h38 - Atualizado em 14/02/2019 11h15

Santa Fé do Sul / Secretário da Pesca e Aquicultura diz que meta é aumentar consumo do brasileiro

Ao site informamais, Jorge Seif Junior falou sobre Guerra Fiscal, desburocratização, regularização de outorgas e elogiou os investimento na região

O Administrador de Empresas Jorge Seif Junior, 41 anos, Secretário Nacional de Aquicultura e Pesca do Governo federal visitou as psiculturas e as indústrias do pescado de Santa Fé do Sul – SP e em Aparecida do Taboado – MS no início desta semana.

Carioca de nascimento, e há 20 anos morando no Estado de Santa Catarina, produtor rural e empresário da Pesca Industrial foi nomeado pelo Presidente da República Jair Bolsonaro para conduzir as atividades da Secretaria desde o dia 1 de janeiro de 2019.

Em Santa Fé do Sul, o Secretário foi recepcionado por Ramon Amaral diretor do Grupo Ambar Amaral que integra a diretoria da PeixeBR – Associação Brasileira da Psicultura e Emerson Esteves e pelo Presidente da PeixeSP –Associação de Piscicultores em Águas Paulistas e da União e a coordenadora do Aquishow Brasil, Marilsa Fernandes.

Na manhã desta quinta-feira (14), em entrevista exclusiva ao site informamais, Jorge Seif Junior comentou os objetivos da visita a região, o que ouviu de reivindicações e quais as suas metas a frente da Secretaria.

Informamais: Qual a missão dada pelo presidente Bolsonaro ao nomeá-lo Secretário da Aquicultura e Pesca do Governo Federal?

Jorge Seif Jr. O capitão quando nos convidou disse que quer que o brasileiro coma mais peixe, considerando que o País é muito grande, tem muito potencial de rios e mares e o presidente se mostrou inconformado com a dificuldade que o povo tem em comer pescado. Temos a missão de moralizar o setor, porque há muito tempo enfrenta problemas na Secretaria e fazer com que o brasileiro coma mais peixe e assim produzir emprego e renda.

 

Informamais: Cendo empresário da Industria da Pesca isso poderá facilitar sua gestão à frente da Secretaria?

Jorge Seif Jr. Eu acredito que o Capitão acertou bastante quando ele começou a colocar na esplanada dos ministérios quadros técnicos, como a Ministra da Agricultura que é Agrônoma, o Ministro da Saúde é um Médico, Ministro da Economia é um economista com reconhecimento internacional, o Ministro da Justiça é o Sergio Moro que veio do judiciário e reconhecimento internacional e na Secretaria de Pesca achou por bem também nomear alguém que é do setor. Por se um empresário ligado ao setor, eu conheço os anseios dos empresários que apresentam problemas semelhantes, independente do ramo da pesca que ele exerce. Na pesca existem problemas peculiares, e em minhas conversas com o setor eu tenho identificado que os empresários ficam convencidos que minha atuação favorece o diálogo, porque conheço o outro lado do balcão, não sou político, não fui indicado por político, não sou um cabide de emprego, nada disso, sou técnico e tenho a missão de poder moralizar e ouvir os anseios do setor e poder trabalhar para atender esses anseios.

Informamais: Neste primeiro momento o que o senhor tem feito para conhecer as necessidades da Aquicultura em todo o Brasil?

Jorge Seif Jr. Quem conhece os problemas do setor, são os próprios produtores, e nossa visita em Santa Fé do Sul e Aparecida do Taboado e a outros centros de pesca e aquicultura pelo Brasil, temos visitados vários locais e temos recebido várias demandas em Brasília (DF) que estão trazendo as pautas para a Secretaria estou me aproximando da aquicultura nacional, conhecendo a produção, as fazendas, as fábricas de ração, o cultivo e a produção de alevinos, fiquei impressionado com este mundo fantástico e pela paixão e trabalho duro que é feito pelos empresários e essas pautas prioritárias estão sendo apresentadas e vamos lutar em equipe para atender aos anseios.

Informamais: Quais foram as reivindicações dos empresários visitados em Santa Fé do Sul e Aparecida do Taboado, e que representam várias regiões dos dois estados.

Jorge Seif Junior. As principais demandas são referentes a burocracia, no meu entendimento o governo não pode ser o ator que atrapalhe o setor. Tem que ser o incentivador do setor, e isso é uma ordem dentro do Governo Federal do Presidente Jair Bolsonaro e tem por meta desburocratizar e agilizar as cessões de outorgas de águas da união para o cultivo e deixar o produtor trabalhar, outras pautas importantes foram os pedidos de equiparação de isenção de ICMS que hoje existe para rações de outros animais, aplica a mesma isenção para a rações de pescados, vamos lutar para essa equiparação. 70% dos custos dos aquicultores é com ração e, toda ajuda é muito bem-vinda para fortalecer os empresários.

Informamais: E como enfrentar a Guerra Fiscal para buscar o fortalecimento do setor em São Paulo?

Jorge Seif Jr. Quando os empresários tem acesso a alguém do governo, como é o caso da nossa presença nesta oportunidade aqui na região, os anseios são muito grandes, como a isenção fiscal, problemas com a marinha, mas nos temos de lembrar que eu sou da Pesca e Aquicultura, o que podemos adiantar é que existem muitos projetos no Governo, especialmente no pasta do Ministro Paulo Guedes que pretende fazer uma reforma tributária no Brasil e com certeza a Guerra Fiscal faz parte desse escopo, mas são coisas de muita magnitude que a Secretaria Nacional da Pesca e Aquicultura não tem esse alcance, e enquanto representantes do setor, nossa secretaria irá flexibilizar os problemas que são ocasionados ou soluções que podemos oferecer dentro da nossa gestão e o governo federal estará trabalhando para mudar ou amenizar os efeitos da Guerra Fiscal.

Informamais: Em relação regularizações das outorgas de áreas, e fiscalização de áreas improdutivas, quais medidas devem ser tomadas por sua pasta?

Jorge Seif Jr. Nesta quarta-feira (13), em uma de nossas reuniões, este assunto foi uma das principais pautas, e estamos atentos as pessoas que tem outorgas e não utilizam e outros que estão instaladas de forma irregular, isso faz parte de nossa gestão e anotamos todas essas pautas para poder coibir a irregularidade, legalização e aumentar as outorgas porque é um setor maravilho que tem muito a crescer e contribuir com a missão de Jair Bolsonaro e da nossa Secretaria.

Informamais: Qual analise o senhor faz da relação do setor produtivo com meio ambiente e o turismo.

Jorge Seif Jr. Eu creio que a região de Santa Fé do Sul é um exemplo maravilhoso dessa sinergia entre os setores, a sociedade organizada que coloca cada segmento no seu devido lugar, e nessa região, na divisa de São Paulo e Mato Grosso do Sul, vimos esse bom relacionamento entre os setores e da nossa parte, parabenizo toda a região pela organização, pelo amor, pela paixão, pelo cuidado com a cidade e os pequenos detalhes observados aqui, que fazem a grande diferença e que torna a região referência nacional na produção de pescados. Esta é a primeira vez que visito o setor e já estou me considerando um novo cidadão desta região, e quero que todos os empresários contem com nossa gestão a frente da Secretaria e que as demandas possam ser atendidas, para incentivar e fortalecer o setor da psicultura que é referência na produção de tilápia em tanques redes.

Jorge Seif Junior confirmou sua presença na abertura do Aquishow Brasil de 14 a 17 de maio na cidade de Santa Fé do Sul. Ele fará a Palestra Inaugural do evento no Complexo Turístico e Cultural “Roberto Valle Rollemberg”.